Prefeitura refaz contenção no Sóter e Imbirussu será desassoreado para reduzir risco de alagamento

0
39

Equipes da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) estão trabalhando desde o início da semana na reconstrução de um trecho dos taludes de contenção das margens do Córrego Sóter, em uma das 4 barragens construídas na Avenida Nelly Martins, na altura da Rua Pernambuco. Na próxima semana, será iniciada outra ação preventiva contra enchentes no período de chuvas. A intervenção será o desassoreamento para aumentar a vazão do Córrego Imbirussu, na região do Jardim Aeroporto, que impacta diretamente a Vila Popular, um bairro vizinho, onde parte dos moradores da Rua Rádio Maia sofrem com os alagamentos.

IMG_7054 (Copy)O Sóter também terá intervenção em um local onde no ano passado, num período de chuva intensa, o córrego transbordou e a água se infiltrou por um buraco aberto na estrutura de concreto, levando o aterro sob o qual o concreto foi aplicado.

Numa situação limite, em caso de muita chuva em um espaço curto de tempo, a erosão avançaria, destruiria a parte de gabião construída dentro do canal e colocaria em risco até mesmo a pista da avenida marginal, segundo o superintendente de Serviços Públicos Públicos, engenheiro civil Medhi Talayeh.

Para evitar que volte a ocorrer infiltração, será feita uma parede de pedras sobre o barranco, que será coberta por concreto. O Sóter tem cinco represas de contenção que tem a função de retardar a chegada da correnteza mais a montante, na região do Shopping, e evitar o transbordamento do Prosa, que sofre também o impacto dos lagos do Parque das Nações Indígenas.

A Prefeitura, em parceria com o Governo do Estado, já promoveu o desassoreamento dos lagos do Parque das Nações, retirando mais de 135 mil metros cúbicos de areia; retirou mais 4 mil metros cúbicos da nascente do Córrego Reveillon na Avenida Mato Grosso. O mesmo serviço foi feito no Córrego Segredo (numa ação preventiva para evitar seu transbordamento na rotatória das avenidas Ernesto Geisel/Rachid Neder, onde recebe as águas do Cascudo). Atualmente, sete equipes estão trabalhando na limpeza de bocas de lobo (importante para aumentar a captação de enxurrada para o sistema de drenagem).

Ação recolhe materiais inservíveis e elimina criadouros do Aedes em terrenos

Agentes do serviço de Manejo Ambiental da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) de Campo Grande, e trabalhadores do Programa de Inclusão Profissional (Proinc) estiveram mobilizados na manhã desta sexta-feira (13) fazendo a vistoria e recolhimento de materiais inservíveis em terrenos baldios na região do bairro Aero Rancho.

Os servidores se diviram em equipes atuando no recolhimento de pneus, televisores, móveis, materiais de construção, entre outros materiais descartados irregularmente nestes locais, tornando o ambiente propicio para a proliferação da fauna sinatrópica, em especial do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya – além trazer potencial risco sanitário à coletividade.

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), Veruska Lahdo, reforça que, mesmo com a redução significativa dos casos de dengue do município, ações como esta são necessárias e devem ser constantes para evitar futuras epidemias.

“Estamos em um momento de estiagem onde existe uma diminuição natural da proliferação do Aedes aegypti, por isso a necessidade de intensificar nossas ações. Importante também que as pessoas tenham consciência de que esse é o momento que cada um precisa fazer sua parte. Cuidando do nosso ambiente, não deixando lixo acumulado, certamente iremos se manter livres de doenças”, destaca.

Redução

Nos meses de maio, junho, julho e agosto, os casos de dengue tiveram um redução percentual acumulada de mais de 200% em Campo Grande, conforme análise do boletim epidemiológico divulgado na quarta-feira (11) pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica (SVE) da SESAU.

Em maio,foram registrados 6.932 casos notificados de dengue, enquanto que em junho foram 2.262 notificações, o que representa uma redução de 67%. Nos meses seguintes, julho e agosto, as notificações caíram para 585 e 156, portanto houve uma redução de 74% e 73%, respectivamente, considerando mês a mês o que, no acumulado, ultrapassa 200%.

tem como foco a eliminação de potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya .

Cidade Limpa

No dia 30 de setembro a região do Lageado vai receber mais uma edição do projeto Cidade Limpa. Uma parceria entre a SESAU e as secretarias de Meio Ambiente, Infraestrutura e Obras e Planurb que visa fazer o recolhimento de materiais inservíveis de grande volume, não passíveis de descarte na coleta seletiva.

Os bairros Jardim Noroeste, Centro-Oeste, Cidade Morena e Moreninhas receberam edições anteriores do projeto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui